Share
Explore

RESOLUÇÃO DE CONFLITOS

Fonte: Limites cara a cara - Cloud & Towsend

1. Estar emocionalmente presente
Seja amável
Inicie uma conversa e não um sermão
Envolva-se apesar das diferenças
Entenda a diferença entre desconforto e dor

Toda conversa difícil gera um desconforto emocional, porém, tem situações e conversas que podem levar a dor, é necessário distinguir o desconforto da dor, pois se a pessoa estiver muito machucada emocionalmente é necessário interromper a conversa e deixar para outro momento.
2. Ser claro sobre o “você” e sobre o “eu”
Olhe para a situação com empatia
Tenha tudo claro em sua mente
Fale do que você precisa, e não do que o outro precisa
Resolva o medo de ser independente
Seja humilde

Existe uma tendência nossa de discutir sempre falando: “você isso, você aquilo outro”, mas em conversas difíceis é importante você apresentar a sua pessoa “eu”, o que eu estou sentindo, o que eu preciso, o que eu desejo, o que eu penso a respeito, qual é a minha lógica de raciocínio, o que eu considero certo e errado.
3. Esclareça o problema
Qual a natureza do problema?
Quais os efeitos do problema?
Qual o seu desejo de mudança?

Ter clareza do problema, sua natureza, causas, os efeitos, te ajuda a conversar melhor com a pessoa e a encontrar soluções, impor limites. Apresentar para o outro os efeitos daquele problema no relacionamento ajuda a conscientização do outro.
4. Combinar Graça e Verdade
Ambos precisam da Graça e da Verdade
Comece pela Graça
Os dois elementos presentes ao mesmo tempo
Cuidado com os exageros
Na dúvida, opte pela Graça

É muito comum desejarmos que o outro nos trate com Graça e menos com a Verdade. Por outro lado, é muito comum tratarmos o outro com a Verdade e não combinando a Graça. O amor sem verdade cai no emocionalismo e as coisas se tornam muito subjetivas. A verdade sem o amor é praticamente impossível de digerir, de receber, de ouvir.
5. Mantenha a objetividade
Esteja preparado
Saiba também ouvir, até certo ponto
Faça várias tentativas de voltar ao assunto principal
Trate a atitude defensiva como um problema
Pratique a conversa com outros

É muito comum as pessoas desviarem das conversas difíceis, puxar outros assuntos, fugir do assunto principal. Você ouve o outro falar até certo ponto, pois é necessário manter a objetividade da conversa, retornar para o assunto principal, deixar claro que vocês estão desviando do assunto principal.
6. Quando você faz “A”, eu me sinto “B”
Foco nos sentimentos e não em pensamentos
Identifique seus sentimentos
Evita a frase “Você me faz sentir...”
Seja específico

Temos a tendência de somente racionalizar as coisas e apresentar o que pensamos. Porém, o outro precisa compreender como aquela atitude, aquele comportamento, gera em nós sentimentos negativos.

7. Encorajar e Validar
O verdadeiro encorajamento vem da sua preocupação sincera com a outra pessoa e o seu desejo de melhorar a relação com ela.
Encoraje as pessoas quem vai confrontar e aceite-as para que se sintam valorizadas
Deixe claro que a pessoa é importante e que você está ao lado dela.

8. Desculpar-se pela sua contribuição para o problema
Quais são as pendências?
Qual foi a sua contribuição?

Ao tentar conversar sobre um determinado problema, você pode ter pendências não resolvidas com a pessoa. Além disso, tem problemas que nós também contribuímos.

9. Distinguir Perdão e Confiança
O perdão tem a ver com o passado.
A reconciliação tem a ver com o presente.
A confiança tem a ver com o futuro.

Perdão está relacionando a uma situação que aconteceu no passado. Nós confundimos perdão com confiança. Nos relacionamentos, dependendo do pecado que a pessoa cometa, ela vai quebrar a confiança conquistada. O perdão não necessariamente significa que vamos continuar no relacionamento com a pessoa sem nenhum tipo de acordo de mudanças. Em muitas situações, a pessoa vai precisar reconquistar a confiança ou nós vamos ter que reconquistar a confiança do outro.


Want to print your doc?
This is not the way.
Try clicking the ⋯ next to your doc name or using a keyboard shortcut (
CtrlP
) instead.